quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Dragão Pré-histórico


Os dragões do período cretáceo foram os maiores animais voadores que já existiram. O dragão pré-histórico é descendente do grupo de dragões aquáticos ou semi-aquáticos que ocupou os pântanos costeiros há mais ou menos 200 milhões de anos, no final do período Triássico, e que deu origem a espécies marítimas e terrestres. As espécies terrestres eram inicialmente quadrúpedes e corriam sobre as quatro patas sem poder voar ou cuspir fogo. Uma dessas espécies desenvolveu a habilidade de correr sobre as pernas traseiras. Como as pernas dianteiras deixaram de ser usadas para se manter de pé ou correr, continuaram evoluindo, transformando-se eventualmente em asas e tornando o vôo possível. Este processo é quase exatamente igual ao da evolução do vôo dos pássaros, descendentes de um pequeno dinossauro bípede.
Em determinado momento - e não existem provas fósseis desta teoria -, os dragões teriam hospedado no intestino uma bactéria ativa capaz de produzir hidrogênio. Isto permitiria que, apesar do seu tamanho, os dragões não sofressem as mesmas restrições de vôo dos pássaros e morcegos, e chegassem a ser os maiores animais voadores da história, desafiando um dos maiores carnívoros daquela época, o Tiranossauro Rex. Além disso, os dragões teriam ingerido minerais inorgânicos, tais como platina, provocando a ignição catalítica do hidrogênio produzido nos intestinos. Esta potente arma, o fôlego de fogo, completou o arsenal do dragão. Começava então, o reinado do dragão pré-histórico.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sereias

Photobucket


Sereia (do grego antigo: Σειρῆνας) é um ser mitológico, parte mulher e parte peixe (ou pássaro, segundo vários escritores e poetas antigos). É provável que o mito tenha tido origem em relatos da existência de animais com características próximas daquela que, mais tarde foram classificados como sirénios.
Filhas do rio Achelous e da musa Terpsícore. Não confundir com Hárpias. Habitavam os rochedos entre a ilha de Capri e a costa da Itália. Eram tão lindas e cantavam com tanta doçura que atraíam os tripulantes dos navios que passavam por ali para os navios colidirem com os rochedos e afundarem. Odisseu, personagem da Odisséia de Homero, conseguiu salvar-se porque colocou cera nos ouvidos dos seus marinheiros e amarrou-se ao mastro de seu navio, para poder ouvi-las sem poder aproximar-se. As sereias representam na cultura contemporânea o sexo e a sensualidade.

Na Grécia Antiga, porém, os seres que atacaram Odisseu eram na verdade, retratados como sendo sereias, mulheres que ofenderam a deusa Afrodite e foram viver numa ilha isolada. Se assemelham às harpias, mas possuem penas negras, uma linda voz e uma beleza única.

Algumas das sereias citadas na literatura clássica são:
Pisinoe (Controladora de Mentes),
Thelxiepia (Cantora que Enfeitiça),
Ligeia (Doce Sonoridade),
Aglaope,
Leucosia,
Parténope.

Segundo a lenda, o único jeito de derrotar uma sereia ao cantar seria cantar melhor do que ela.
Em 1917, Franz Kafka escreveu o seguinte no conto O silêncio das sereias:
As sereias, porém, possuem uma arma ainda mais terrível do que seu canto: seu silêncio.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Dragon Mountain

Clique na imagem para jogar

Nesta aventura, a sua missão é explorar o segredo do dragão!

Como jogar:

Utilize o mouse e siga as setas

Wallpapers

domingo, 18 de julho de 2010

DragonForce - Through The Fire and The Flames

Como treinar o seu Dragão




Do estúdio criador de “Shrek”, “Madagascar” e “Kung Fu Panda”, surge “Como Treinar o Seu Dragão” -- Passada em um mundo lendário de Vikings musculosos e de dragões selvagens e baseada no livro de Cressida Cowell, a comédia de ação conta a história de Soluço, um Viking adolescente que não combina muito bem com a longa tradição de sua tribo de heróicos matadores de dragões. O mundo de Soluço vira de cabeça para baixo quando ele encontra um dragão que dasafia tanto ele quanto seus companheiros Vikings a encararem o mundo de um ponto de vista totalmente diferente.









Trailer

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Fafnir


Na mitologia nórdica, Fafnir (ou Fáfnir; nórdico antigo: Frænir) é o filho do rei anão Hreidmar e irmão de Regin e Ótr.
Na Saga dos Volsungos, ele é um anão com um braço poderoso e uma alma sem medo. Após Ótr ser morto por Loki Hreidmar recebe o Andvarinaut como recompensa, um anel amaldiçoado. Fafnir e Regin matam seu pai pelo ouro, mas Fafnir decide tomar posse completa do tesouro e se torna um dragão. Regin envia seu aprendiz Siegfried para matá-lo, e o jovem parte para a toca do inimigo. Siegfried então mata o dragão Fafnir com um golpe de sua espada Gram, e se banha com o sangue do inimigo para ter invulnerabilidade, exceto por um dos ombros, coberto por uma folha. Regin então pede a Siegfried o coração de Fafnir, e Siegfried também bebe um pouco do sangue do dragão, ganhando a habilidade de entender a língua dos pássaros. Os pássaros o alertam matar Regin, que tramava a morte do jovem. Siegfried cumpre o pedido, mata Regin e consome o coração de Fafnir, recebendo o dom da sabedoria.
Logo Siegfried se tornou um grande herói e despertou inveja aos outros guerreiros, certo dia quando Siegfried estava descansando bebendo água de um rio, um guerreiro lançou uma flecha no local onde a folha havia tampado, o único lugar de Siegfried que não era invulnerável, e assim morreu.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Elfos

São criaturas mitológicas do folclore celta e escandinavo presentes, portanto, nas lendas de países como Grã-Bretanha, Noruega e Suécia. Nessas histórias eles usam seus poderes mágicos para aprontar travessuras e são quase imortais: só morrem se forem assassinados, imunes à velhice e às doenças. Na maioria dos relatos, surgem como anõezinhos de orelhas pontudas, mas, dependendo da região de origem da lenda, assumem formas que vão de espíritos protetores da natureza a anões pretos, cinzentos ou brancos. "A raiz do nome elfo, alf, é a mesma de 'alvura', o que indica um caráter positivo", diz o historiador Hilário Franco Júnior, da USP. As histórias, porém, nem sempre mostram elfos bonzinhos. Os Edda, coleção de textos da mitologia escandinava do século XIII, trazem três tipos: os brancos, bons, e os negros e cinzentos, perversos, afirma Verlyn Flieger, professora de Mitologia Comparada da Universidade de Maryland, Estados Unidos.

Com a expansão européia do Cristianismo, os elfos acabaram demonizados, mas essa imagem foi virada ao avesso pelo escritor J.R.R. Tolkien na trilogia O Senhor dos Anéis (1954), em que os elfos são belos e sábios, parecidos com humanos de estatura elevada.

domingo, 25 de abril de 2010

Dragon Slayers 2


Clique na imagem para jogar!

Sinopse: Essa não! Dragões querem invadir o castelo! Você deve mostrar todo o seu talento como arqueiro(a) e deter os dragões!

Instruções: Use o mouse para mirar, aperte para medir a força e solte para lançar a flecha

sábado, 24 de abril de 2010

Imagens

 

Aqui eu vou colocando as imagens que aparecem no blog ^^

Trivium - Becoming the dragon



Tradução:

Nadando rio acima
Livre de medo e preenchido com propósito
Nishikigoi luta através de oceanos de adversidades
Contra a corrente para chegar aos objetivos mais altos

Nade através dos rios de sofrimento
Escale até os abismos do portão do dragão, vire
Se transforme de koin em uma besta, dragão

Um simbolo vivo de coragem
Nenhuma onda irá destroçar as escalas
Sonhos de três garras de aguia
E as patas de um tigre
Água caindo sobre sua cabeça
Nada mais a fazer

Você nunca parará o transformador
Yeah
O dragão se elevará e será rei

Todos testemunham a grande forma
A evoluçao esta completa
A respiração que se transforma em nuvem
Criando fogo ou chuva
Veja o mundo se movendo de acordo com cada desejo

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Os Cavaleiros do Zodíaco

A cada 200 anos (em média), Atena, a deusa da guerra e da sabedoria, vem à Terra, com a sagrada missão de impedir outros deuses de dominar a Terra e os seres humanos. Para cumprir sua missão, Atena conta com a ajuda de jovens guerreiros protegidos com armaduras sagradas intitulados cavaleiros. Juntos, lutam contra as forças do mal, num ambiente cheio de mitologias.

Episódio 01 parte 01/03



Parte 02/03



Parte 03/03




Por que estou falando desse anime? Por que eles chegam a citar diversas vezes um certo dragão, pra quem conhece já sabe né? XD Esse alguém é o Shiryu da armadura de Dragão! Agora uma ficha que eu tirei da Wikipédia sobre ele XD:

Cavaleiro que treinou arduamente na China com o Mestre Ancião que na verdade é o cavaleiro de ouro Dohko de Libra. Sábio e habilidoso, Shiryu é um notável guerreiro que sempre arrisca sua vida em prol das outras pessoas. Costuma receber grandes ensinamentos de seu mestre.


Acho ele o mais lindo! É tão lindo quando ele fica cego para ajudar os seus amigos... E o romance que ele tem com a Shunrei também é tão fofo! Quando ele foi pra China ela era se não me engano a neta do mestre do Shiryu, e seu mestre pede pra que Shiryu seja gentil com ela, ela era a única amiga que ele tinha enquanto treinava e cuidou dele quando ele estava cego, sempre que ele sai pra lutar pra defender Atena ela reza por ele na cachoeira perto da casa dela.

O Dragão e a Deusa



Era uma vez um dragão horrível. Tinha uma boca enorme que vomitava fogo, e sua longa cauda
verde-esmeralda era dura e reluzente. Morava numa caverna e era louco pela carne tenra e doce das crianças.
Quando chegava a primavera, saía do seu antro tenebroso e atapetado de algas e ia até as praias
do Japão, onde crianças de todas as idades brincavam na areia e mergulhavam alegremente nas águas azuis. O monstro ficava de tocaia e assim que uma criança se afastava um pouco da mãe e avançava mar adentro, ele pulava de seu esconderijo e com um uivo gelado a engolia de uma só vez.
Quantas famílias choraram a perda de seus filhos por causa desse monstro cruel!
De seu castelo celeste, lá no alto, Benten, a deusa da felicidade, observa essas cenas com o coração despedaçado. Ela se compadecia das pequenas vítimas e de seus pais, mas também tinha pena do
monstro.

- Quem sabe - dizia a si mesma - essa sua crueldade se deva à solidão à qual está condenado.
Evitado e temido por todos, foi obrigado a viver num horrível refúgio submarino, sem ao menos um raio de sol para acariciá-lo. Como podia ser bondoso se nunca conhecera a bondade? Sentia-se odiado por todos e odiava a todos. E assim Benten decidiu fazer alguma coisa por aquele ser esquecido pelos deuses e desprezado pelos homens.

Um dia, ela subiu numa nuvenzinha que mais parecia um cisne, e, servindo-se dela como carruagem, atravessou a imensidão do céu e foi até a gruta do dragão. Desceu quase tocando a superfície da água e
pôs-se a chamar o monstro com uma voz doce e melodiosa.
Eis que o mar começou agitar como se estivesse em ebulição. As águas se separaram, e o dragão saiu de sua caverna, a qual era sustentada por uma ilha.
A deusa sorriu e aquele sorriso acalmou a água, que novamente ficou toda azul. Uma infinidade de flores coloridas e perfumadas desabrochou na ilha, e Benten deixou-se cair, leve como uma borboleta sobre aquela terra maravilhosa.
O dragão, imóvel e aturdido, observava todas aquelas maravilhas até então desconhecidas. A deusa aproximou-se e, sempre sorrindo, disse-lhe:

- Por que você não se casa comigo ? Assim nunca mais vai ficar sozinho. Vou amá-lo muito e viveremos num paraíso. Teremos lindas crianças e você será muito feliz.

O monstro concordou, balançou a sua enorme cabeça, e duas lágrimas reluzentes caíram de seus olhos.
Daquele dia em diante, as crianças puderam brincar nas praias tranqüilamente, e ninguém mais teve medo
dos ataques do monstro.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Qual sua fada no horóscopo das fadas?

As Fadas estão sempre prontas e de coração aberto a auxiliar a Nós Seres Humanos. 

Desde que em primeiro lugar, as respeitemos como Seres, tais como Nós em Evolução no Cosmos e que juntos às demais Formas de Vida de nossa Querida Mãe Terra, aceitemos o desafio de formar um grande Elo Fraterno e Abençoado pelo Divino.


E finalmente, que nos desapeguemos do preconceito de "não crer em algo, simplesmente porque não conseguimos vê-lo."

As Fadas abaixo relacionadas não são Fadas Madrinhas ou Regentes de cada Mês como já abordamos em Postagens anteriores.

São Fadas com a Missão de oferecer a cada signo do Ser Humano em especial, aquilo que nossa personalidade mais carece, além de brindarnos com outros magníficos dons. 

Se tivermos Fé em nós mesmos, boa vontade e determinação, teremos plena capacidade em aprender, desenvolver e transformar tais carências em novas e Abençoadas virtudes para Nós. 



O ENCANTADOR HORÓSCOPO DAS FADAS

FADA MORRIGU - ÁRIES



ÁRIES - Fada Morrigu: Confere coragem, liderança, mas sem presunção ou egoísmo ao seu Nativo, levando-o à persistência na força e valor da luta contra o mal.


FADA LICKE - TOURO



TOURO - Fada Licke: Sendo uma fada cozinheira, é ela quem prepara os alimentos, nos inspirando a aprender como fazê-los de bom grado, sem teimosia, compartilhando os prazeres da fartura e abundância com nossos semelhantes.

FADA HABETROT - GÊMEOS



GÊMEOS - Fada Habetrot: Esta Fada ensina seus Nativos a terem mais prudência e paciência e a aprimorar sua precisão no trabalho, principalmente artesanal.


FADA OONAGH - CÂNCER



CÂNCER - Fada Oonagh: Atribui brilho pessoal, estabilidade emocional, dignidade e autoconfiança.


FADA SLKY BROWNIE- LEÃO



LEÃO- Fada Slky Brownie: Confere maior tolerância: consigo mesmo(a), com aqueles à sua volta, também na prática das tarefas cotidianas e aprimora o dom e a dedicação pelo trabalho.


FADA LEANAN SICLHE - VIRGEM



VIRGEM- Fada Leanan Siclhe: É a Protetora dos Enamorados, e aqui neste signo atua intensivamente pois no quesito amor, virginianos são extremamente tímidos e seletivos. Favorece portanto, os idílios e evita pequenas discórdias que atrapalhem a felicidade de um Casal; outorga também o dom da inspiração aos poetas e cantores.


FADA NIMUE - LIBRA



LIBRA - Fada Nimue: Possui poderes mágicos para curar a dor, concede o dom de maior movimento, determinação e confiança para enfrentar as advesidades do Cotidiano.


FADA MEG MULLACH - ESCORPIÃO



ESCORPIÃO - Fada Meg Mullach: Infunde entusiasmo construtivo e ânimo festivo, transmite ainda vitalidade, paciência, tolerância e sabedoria popular.


FADA ELLYLLON - SAGITÁRIO



SAGITÁRIO - Fada Ellyllon: Restitui a força sem soberba, o entusiasmo pela vida , forte determinação pelo trabalho. Conduz ao caminho da prosperidade e afugenta a má sorte.


FADA RAINHA MAB - CAPRICÓRNIO



CAPRICÓRNIO- Fada Rainha Mab: Favorece todas as formas de restabelecimento e faz acelerar a realização de êxitos, principalmente Amorosos. Mensageira do Otimismo Mab transforma nossos sonhos em realidade.

FADA GWRAGGED ANNWN - AQUÁRIO



AQUÁRIO- Fada Gwragged Annwn: Atribui autoconfiança, racionalidade, beleza e sedução às Mulheres, sensibilidade e segredos da Medicina aos homens.


FADA GRIG - PEIXES



PEIXES - Fada Grig: Mantém a alegria e generosidade típicas do caráter pisciano no Cotidiano. Mas direcionando sempre seus sonhos de forma mais concreta a fim de realizá-los.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

The High Risk Rescue


Clique na imagem para jogar

Jake precisa salvar seus amigos. Para isso, ele deve ir até o topo do prédio. Ajude-o, usando seus poderes mágicos como dragão para completar a missão.

Instruções do Jogo

Use as setas do teclado para mover o personagem.
Use a barra de espaço para transformar em dragão.
Use a tecla B para atacar.
Use a tecla N para cuspir fogo e ativar comandos.

sábado, 17 de abril de 2010

Dragões Europeus

Os dragões da Europa eram mais vistos como criaturas malígnas. Diversas histórias e lendas sobre as grandes criaturas que devastavam cidades e castelos, faziam vítimas humanas, cobiçavam as nobres donzelas e possuíam ricos e secretos tesouros. E no final, eram aniquilados por corajosos e heróicos cavaleiros. Mas sempe houveram excessões, como os sábios dragões que eram respeitados e temidos, que eram procurados por aqueles em busca de respostas e ajuda.

Como répteis por natureza, os dragões achavam conforo em lugares frios, escuros e úmidos. Gostavam de cavernas, já que cavernas eram facilmente defendidas e um bom lugar para manter tesouros e reservas. Montanhas íngremes eram populares entre os gigantes répteis. Destas áreas eles podiam descer como aves de rapina, depois retornar para suas tocas e se alimentarem sem serem molestados. Se tal lugar pudesse ser achado junto à cidades, eles eram particularmente desejáveis desde que eram convenientes para comida.

Dragões também eram conhecidos por gostarem de lares d'água. Acreditava-se que mares, lagos e rios eram moradas destas criaturas. Os dragões que moravam em tais lugares, se alimentavam de peixes e de suprimentos do tráfego marinho. Também utilizavam a água para se aproximarem, despercebidos, de cidades costeiras a fim de caçar os residentes.

De todas as moradas aquáticas, entretanto, os pântanos eram os favoritos. Pântanos em forma de cavernas davam boas tocas. Na Inglaterra, estes habitantes de pântano eram chamados de "knuckers", e as piscinas praticamente sem fundo eram frias no verão e não congelavam no inverno.

Avatares

Feitos por mim:



Feitos por outros:

PhotobucketPhotobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket


Caso você tenha feito algum desses avatares, fale pra mim que eu darei os devidos créditos

sexta-feira, 16 de abril de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A Viagem De Chihiro

título original:Sen to Chihiro No Kamikakushi
gênero:Animação
duração:02 hs 02 min
ano de lançamento:2001
site oficial:
estúdio:Dentsu Inc. / Mitsubishi Commercial Affairs / NTV / Studio Ghibli / Tokuma Shoten / Touhoku Shinsha / Walt Disney Pictures
distribuidora:Europa Filmes / Buena Vista International
direção: Hayao Miyazaki
roteiro:Hayao Miyazaki
produção:Toshio Suzuki

Sinopse: Chihiro é uma menina de 10 anos se muda para uma nova cidade contra sua vontade e sente falta de seus amigos da sua antiga escola, mas ao invés de ir direto para sua nova casa seu pai pega um caminho diferente que faz eles irem numa espécie de parque temático abandonado, Chihiro tenta convencer seus pais de irem logo embora, pois aquele lugar dava arrepios nela... Sem escutar seus pais ficam comendo a comida de um restaurante abandonado mas que misteriosamente tinha comida fresca e deliciosa lá enquando Chihiro explorava o estranho lugar que só tinha restaurantes e um enorme templo, perto de lá ela encontra um garoto chamado Haku que diz que ela tinha que sair de lá antes do anoitecer.
Ao ir ao encontro de seus pais Chihiro se desespera ao ver que eles haviam se transformado em porcos! E aquele parque temático abandonado de repente fica repleto de espíritos e deuses, agora Chihiro terá que descobrir como salvar seus pais e como sair daquele misterioso lugar.

Trailer:



Música:



Veja uma cena!:

terça-feira, 13 de abril de 2010

Ládon ou Dragão da Cólquida

Dragão da Cólquida



Na mitologia grega, era conhecido como o guardião do velocino de ouro, no qual o herói Jasão e os argonautas conseguiram se apoderar. O dragão da Cólquida era muito grande, mas era muito lento. A lenda diz que dormia com um olho aberto e outro fechado. Muitos heróis tentaram, mas apenas Jasão conseguiu. Para conseguir o velocino dourado, os heróis teriam que matar búfalos de fogo, semear seus dentes, lutar com guerreiros cadavéricos nascidos dos dentes, chamados Sparti, derrotá-los para chegar até o dragão e matá-lo. Tudo isso no mesmo dia.

Ládon, o guardião do jardim das Hespérides

Outras crenças dizem que Ládon, um dragão com um corpo de serpente onde tinha cem cabeças que falavam línguas diferentes, foi um dragão a quem Hera, mulher de Zeus, deu a tarefa de proteger a macieira de frutos de ouro. Esta era um árvore que sua mãe, Gea lhe tinha dado no dia de casamento com Zeus. Hera plantou essa árvore nos confins ocidentais do Mundo e deu às ninfas do entardecer, filhas de Atlas, a função de a proteger. Estas, por sua vez, aproveitam-se dos frutos de ouro para seu próprio benifício e a rainha dos Deuses teve de procurar um guardião mais fiável, poderoso, e inteligente, Ládon.

A partir desse momento, Ládon tornou-se o guardião da macieira dos frutos de ouro, que mais tarde morreu por um flecha de Hércules que precisava de uma maçã de ouro para completar uma das doze tarefas do rei Euristeu. Este por sua vez, depois de matar o temível dragão, foi ter com Atlas que cedeu a sua tarefa de segurar o mundo aos ombros a Hécules, enquanto ele ia buscar a maçã. Quando regressou, trazia 3 maçãs de ouro, mas recusava-se a voltar para a sua função, o que fez Hércules enganá-lo dizendo que aceitava a exigência de Atlas, mas que queria ir buscar, primeiro, uma almofada para por aos ombros. Assim, Atlas voltou a suportar o mundo e Hércules aproveitou para fugir indo para o jardim que o dragão guardava. Lá, para prestar homenagem a Ládon, pegou nos seus restos mortais e atirou-os para o Céu, onde ainda hoje estão, na constelação do dragão.